TRT-RN reforça a importância do acompanhamento da saúde do trabalhador no Dia do Médico do Trabalho

Dia do médico do Trabalho

No dia 4 de outubro é comemorado em todo mundo o dia dos médicos e médicas do trabalho. A data foi escolhida em homenagem ao nascimento do italiano Bernardino Ramazzini (1633-1714), considerado o pai da medicina do trabalho.

Formado pela Universidade de Parma, em 1659, Ramazzini atuou na medicina em diversos hospitais de Roma até que, aos 49 anos, passou a lecionar na Universidade de Modena.  

Entre 1690 e 1691, Ramazzini iniciou suas aulas sobre a matéria que denominou De Morbis Artificum - as doenças dos trabalhadores. Suas observações e apontamentos constituíram um tratado intitulado ‘De Morbis Artificum Diatriba’, a partir de observações colhidas em visitas a locais de trabalho e em entrevistas com trabalhadores.

Observando as queixas de seus pacientes em seus ofícios, Ramazzini identificou que o trabalho pode ser um determinante do processo de adoecimento. Ao discorrer sobre as doenças de diversas profissões, revelou os primeiros indícios de uma prática médica direcionada ao estabelecimento de diagnósticos de doenças ocupacionais.

A partir do pioneirismo de Bernardino Ramazzini, a medicina do trabalho, também conhecida como medicina ocupacional, evoluiu e hoje lida com as relações entre os trabalhadores e seus ambientes profissionais, visando a prevenção dos acidentes e das doenças do trabalho.

No Brasil, a medicina do trabalho se baseia em normas reguladas pelo Ministério do Trabalho e Previdência as quais são obrigatórias para as empresas. Conheça as principais NRs no site: https://bit.ly/39zOWnG

Os trabalhadores devem ser acompanhados pelos médicos e médicas com exames frequentes e as condições do ambiente interno da empresa devem ser avaliadas. 

Além disso, os locais de trabalho passaram também a ser inspecionados pelos Programas de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) e de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO).

O Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT-RN) entende a importância da presença da medicina do trabalho para um ambiente laboral saudável e mantém, em seu corpo funcional, uma equipe médica multiespecializada que atende aos seus magistrados e servidores.

 

Fonte
Comunicação Social do TRT-RN