Pesquisa vai garantir a participação de todos os públicos na elaboração das Metas Nacionais da Justiça do Trabalho  

Imagem mostra arte da pesquisa

As Metas Nacionais da Justiça do Trabalho para o ano de 2022 serão definidas com apoio de magistrados, servidores, advogados e membros do Ministério Público, além da sociedade civil, por meio de uma pesquisa que estará disponível até o dia 31 de julho. O objetivo é que, com as respostas, todos tenham a oportunidade de aprimorar a Justiça do Trabalho.

O levantamento é feito nacionalmente pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) e, no Rio Grande do Norte, a pesquisa está sendo orientada pelo Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT-RN).

Entre os temas tratados, estão a redução do acervo de processos, o incremento e estímulo a formas consensuais de solução de litígios, a ampliação de serviços virtuais, além da priorização no julgamento de temas relacionados à Agenda 2030 das Nações Unidas, como: acidente de trabalho, assédio sexual, trabalho infantil, trabalho análogo ao escravo e doenças ocupacionais.

A pesquisa também está disponível para coletar outras prioridades e saber a percepção de confiança das pessoas na Justiça trabalhista.

Pesquisa unificada

Esta é a primeira vez que a Justiça do Trabalho fará, de forma unificada, a coleta da opinião dos usuários sobre as metas anuais, o que simplifica a consulta, a análise e a avaliação das respostas.

Os resultados serão divulgados em agosto, na reunião preparatória do XV Encontro Nacional do Poder Judiciário e incorporados ao Plano Estratégico da Justiça do Trabalho, aprovado pela Resolução CSJT n. 290 de 20 maio de 2021.

Metas nacionais

As metas nacionais do Poder Judiciário representam o compromisso dos tribunais para aprimorar o desempenho da Justiça.  Um dos objetivos é entregar à sociedade a prestação jurisdicional mais ágil, efetiva e de qualidade. As metas foram criadas em 2009 e resultaram de acordo firmado pelos presidentes dos tribunais para o aperfeiçoamento da Justiça.

Resolução do CNJ

A Resolução CNJ 325/2020 instituiu a Estratégia Nacional 2021-2026, após construção democrática e participativa da rede de governança do Poder Judiciário. Assim, foram estabelecidos novos macrodesafios para todo o Judiciário brasileiro. Com esse novo ciclo de planejamento, o processo de formulação participativa de metas será fortalecido, com a possibilidade de envolvimento de diversos colaboradores na sua elaboração.

Acesse a pesquisa em: https://bit.ly/3jboPcy