Consulta pública do CSJT mostra que grau de satisfação com a Justiça do Trabalho é de 81% 

imagem mostra computador com graficos

O Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) divulgou a proposta inicial de Metas para 2023 como resultado da consulta pública realizada nacionalmente no mês de junho dentro dos Processos Participativos da Justiça do Trabalho. 

De acordo com o relatório, 3.799 pessoas responderam ao questionário entre magistrados, servidores, advogados, representantes de sindicatos e associações de classe, além da sociedade civil. Para os respondentes, há um grau de 81% de satisfação com a Justiça do Trabalho.

O levantamento aferiu que a Justiça do Trabalho pode melhorar nos seguintes aspectos: valorização do seu corpo funcional (52,43%), agilidade das decisões (30,48%), desburocratização (28,14%), inovação na  forma de atuar (24,03%), além da qualidade das decisões (23,03%) e meios de soluções consensuais de conflitos (18,24%), dentre outros.

Das quase 3.800 pessoas que responderam ao questionário, cerca de 60% relataram que já foram atendidas de forma virtual pela Justiça do Trabalho e 90% delas ficaram satisfeitas com a experiência. 

Além disso, impedir que o número de processos sem o primeiro julgamento aumente de um ano para o outro (67,67%), julgar os processos mais antigos (78,75%) e a baixa processual (66,15%) são aspectos que contribuem de forma alta ou muito alta para a agilidade na tramitação dos processos na Justiça do Trabalho, segundo as respostas.

Para 91,11% dos respondentes, é importante ou muito importante que a Justiça do Trabalho incentive a conciliação e adote ações para garantir a qualidade de vida com objetivo de evitar afastamentos do trabalho de magistrados e servidores (93,77%). 

Ainda segundo a consulta pública, para 95,68% das pessoas, a adoção de metodologias inovadoras de gestão administrativa e processual, com vistas à desburocratização e à agilidade dos serviços, bem como realizar ações voltadas ao  cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU (78,02%) são aspectos importantes ou muito importantes para a gestão  administrativa e processual na Justiça do Trabalho.

Ao final do documento, há sugestões de todas as pessoas que participaram da consulta pública.

Metas nacionais

As metas nacionais do Poder Judiciário representam o compromisso dos tribunais para aprimorar o desempenho da Justiça.  Um dos objetivos é entregar à sociedade a prestação jurisdicional mais ágil, efetiva e de qualidade. As metas foram criadas em 2009 e resultaram de acordo firmado pelos presidentes dos tribunais para o aperfeiçoamento da Justiça.